Fact-checking

Vivemos um período em que parece que se reuniram todas as condições para a desinformação na área da alimentação e nutrição.

Existe um interesse crescente pelo tema da nutrição como determinante da nossa saúde. E um modelo de jornalismo e comunicação de ciência que se alimenta de notícias ao minuto, onde a internet e, em particular as redes sociais, são protagonistas. Todos estes fatores permitem uma maior circulação informação, porém nem sempre a informação de qualidade é a norma e, menos ainda, a sua validação por fontes independentes.

É urgente criar espaços de reflexão e divulgação de informação credível nesta área e também criar mecanismos que permitem fazer uma análise crítica e avaliação da informação que circula por milhares de pessoas sem qualquer filtro.

A FCNAUP e a Universidade do Porto, com o apoio da DGS, pretende através do “Pensar Nutrição” ajudar a combater a desinformação na área da nutrição. Inspirado nas plataformas de fact-checking, o “Pensar Nutrição”, através dos professores, investigadores e alumni da FCNAUP propõe-se a fazer uma análise crítica de alguns factos selecionados que vão marcando o dia-a-dia na área da nutrição.

Os textos do “fact-checking” nutricional  do “Pensar Nutrição” estruturam-se da seguinte forma:

  1. Enquadramento breve e questão central a abordar provocada por notícia recente.
  2. Análise do(s) facto(s) tendo por base a evidência científica
  3. Veredicto final (descrição breve da conclusão) baseado num sistema de classificação

Sistema de classificação do(s) facto(s)

O veredicto final baseia-se num sistema de classificação com três categorias diferentes: “Verdadeiro”, “Impreciso” e “Falso”.

 

Fact-checking 1

Verdadeiro – A evidência científica atual permite sustentar a alegação.

 

 

Fact-checking 3

Impreciso – Ainda não existe evidência científica robusta que permita sustentar a alegação ou não existe um enquadramento adequado que permita considerar a alegação verdadeira.

 

Fact-checking 5

Falso – A evidência científica atual não permite sustentar a alegação.

 

 

Neste link encontra todos os nossos artigos de fact-cheking.